Navegação Rápida:

    Utilizar o consórcio para a compra da casa própria, do primeiro veículo, realizar uma viagem ou um procedimento estético, ou então aproveitar as vantagens do produto para investir em imóveis pensando na aposentadoria, por exemplo. São inúmeras as possibilidades de realização com o consórcio, como já mostramos no blog. Se é novo por aqui, aproveite para ler os diversos conteúdos especiais publicados.

    No entanto, como em outras modalidades financeiras ou de investimento,é possível se deparar com tentativas de fraudes por pessoas mal intencionadas. Por isso, é importante estar ciente de todo o processo de aquisição de uma cota de consórcio e atento para evitar situações de golpes. Para ajudar você, elencamos os principais existentes e as maneiras de não cair neles. Continue a leitura!

    Quais os principais tipos de fraude em consórcio?

    1. Carta de crédito contemplada

    Um dos golpes mais comuns aplicados no consórcio é o da carta de crédito contemplada. Saiba que esse procedimento realmente existe, mas o erro principal é buscar a negociação por meio de algum anúncio ou pelo contato com outras pessoas. Após o depósito do valor solicitado, a vítima poderá descobrir que foi enganada.

    Para evitar esse tipo de situação, é preciso entrar em contato com a administradora, que vai realizar a operação de transferência de consórcio e cobrará os custos adicionais, caso existam. Lembre-se de que, para existir a venda de uma carta de crédito contemplada, o consorciado deve realmente querer vendê-la.

    2. Consórcio inexistente

    Outra fraude comum é a do consórcio inexistente. Golpistas de plantão criam empresas de fachada e lançam um anúncio do produto. Infelizmente, diversas pessoas acabam caindo e, após receberem o pagamento, os malfeitores somem com o dinheiro dos investidores.

    3. Consórcio não autorizado

    É fundamental consultar a lista das administradoras de consórcio autorizadas pelo Banco Central a realizar a operação. Caso ainda tenha dúvidas, é possível entrar em contato com a Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio (ABAC) para verificar a regularidade da empresa.

    Como evitar esses golpes de consórcio?

    A primeira recomendação para evitar situações de fraudes é ter cautela na hora de escolher a administradora. É necessário saber se a empresa é de confiança, pois a parceria costuma durar anos até a contemplação e a quitação do plano.

    Na maioria das vezes, o investimento significa a realização de um sonho e, por isso, antes de fazer a aquisição de uma cota, deve ser feita uma pesquisa. Veja a seguir as dicas que separamos para você fazer uma boa e segura negociação!

    1. Leia o contrato com atenção

    Uma das orientações mais importantes é ler o contrato com atenção antes de fechar negócio. É preciso conferir todos os termos e cada uma das cláusulas existentes. Dentre os registros que devem estar muito claros e ser cuidadosamente analisados, estão:

    • taxa de administração;
    • valor do crédito;
    • número de parcelas;
    • regras de contemplação.

    O ideal é não ficar com nenhuma dúvida. Se algo não estiver claro, pergunte aos especialistas da administradora do que se trata a cláusula. Dessa forma, será menos provável cair em algum golpe.

    2. Avalie as taxas

    Todos os consórcios têm taxas, pois isso serve para que as administradoras possam ser remuneradas pelos serviços que prestam. Entre as taxas mais comuns, está a da administração. A diferença de valores entre uma empresa e a outra pode ser grande, por isso, escolha uma administradora conhecida e renomada.

    O valor da taxa deve estar explícito no contrato. Observe-o atentamente até encontrá-lo e faça uma comparação entre as empresas ofertantes do serviço. Vale ressaltar que nem sempre uma taxa mais barata significa um melhor negócio, já que a qualidade do serviço prestado é muito mais importante.

    Alguns consórcios contam também com outras taxas. Entre elas, está o fundo de reserva, que serve para cobrir eventuais despesas ou falhas de membros que fiquem inadimplentes durante certos períodos. Ela auxilia na saúde financeira do negócio. Procure entender bem cada um desses valores.

    3. Reúna informações sobre a administradora

    Uma dica interessante é acessar o site do Banco Central e fazer uma lista das administradoras que atuam em sua região. Após ter o nome de todas elas, faça uma pesquisa sobre o tempo de existência no mercado e veja qual é a reputação de cada empresa.

    Em seguida, exclua aquelas que não passaram no primeiro pente fino e avance com as pesquisas, entrando em contato com amigos e conhecidos que já fecharam negócios com elas. Questione-os quanto aos seguintes aspectos:

    • qualidade;
    • transparência;
    • agilidade;
    • auxílio na resolução de problemas.

    Além de ouvir a opinião das pessoas que já fizeram negócios com a administradora, faça uma pesquisa na Internet. Caso perceba algum risco, passe para a próxima empresa e assim por diante até encontrar a administradora ideal.

    Uma das ferramentas de pesquisa sobre empresas e marcas mais comuns é o Reclame Aqui, que traz a possibilidade de interação entre consumidores e companhias, com perguntas e respostas sobre atendimento, compra, venda, produtos e serviços. A Ademicon, a maior administradora independente de consórcio do Brasil, apresenta atualmente a nota 7.9 e 80,3% das questões resolvidas. E, recentemente, foi indicada como empresa finalista ao Prêmio Reclame Aqui 2023. A votação acontece de 1º de setembro a 31 de outubro deste ano. Confira as finalistas e como votar aqui.

    Então, agora que você já sabe que existem situações de fraudes em consórcio e que esses golpes podem ser evitados, procure uma administradora de consórcio de confiança, dando preferência para aquelas que são consolidadas e que podem oferecer a possibilidade de realizar um bom negócio.

    A Ademicon conta com um time especialista e preparado para ajudar você a conquistar seus projetos. Entre em contato conosco pelo atendimento@ademicon.com.br ou (41) 3023-2000.




    Posts Relacionados: